Follow by Email

Seguidores

quarta-feira, 3 de junho de 2009

TIJELA DE MADEIRA


Um senhor de idade foi morar com seu filho, nora e o neto de 4 anos.
As mãos do velho eram trémulas, sua visão turva e seus passos vacilantes.
A família comia reunida à mesa.
As mãos trémulas e a visão falha do avô o atrapalhavam na hora de comer.
O filho e a nora irritaram-se com a bagunça.
- "Precisamos tomar uma providência com respeito ao papai", disse o filho.
- "Já tivemos suficiente leite derramado, barulho de gente comendo com a boca aberta e comida pelo chão."
Eles decidiram colocar uma pequena mesa num canto da cozinha.
O avô comia só enquanto a família fazia as refeições à mesa, com satisfação.
Desde que o velho quebrara um ou dois pratos, sua comida agora era servida numa tigela de madeira.
Muitas vezes, o senhor tinha lágrimas em seus olhos e as únicas palavras que lhe diziam eram admoestações ásperas quando ele deixava um talher ou comida cair ao chão.
O menino de 4 anos assistia a tudo em silêncio.
Uma noite, antes do jantar, o pai percebeu que o filho pequeno estava no chão, manuseando pedaços de madeira.
Ele perguntou à criança:
"O que você está fazendo?"
O menino respondeu:
- "Ah, estou fazendo uma tigela para você e mamãe comerem, quando eu crescer."
Aquelas palavras tiveram um impacto tão grande nos pais que eles ficaram mudos. Então lágrimas começaram a escorrer de seus olhos.
Embora ninguém tivesse falado nada, ambos sabiam o que precisava ser feito. Naquela noite o pai tomou o avô pelas mãos e gentilmente conduziu-o à mesa da família,e até o final de seus dias ele comeu todas as refeições com a família.
O marido e a esposa não se importavam mais quando um garfo caía, leite era derramado ou a toalha da mesa sujava.
Aprendi que, não importa o tipo de relacionamento que tenha com seus pais, você sentirá falta deles quando partirem.
Aprendi que "saber ganhar" a vida não é a mesma coisa que "saber viver".
Aprendi que a vida às vezes nos dá uma segunda chance.
Aprendi que viver não é só receber, é também dar.
Aprendi que se você procurar a felicidade, vai se iludir… focalize a atenção na família, nos amigos, nas necessidades dos outros, no trabalho e procure fazer o melhor, a felicidade vai encontrá-lo.
Aprendi que sempre que decido algo com o coração aberto, geralmente acerto.
Aprendi que diariamente preciso alcançar e tocar alguém. As pessoas gostam de um toque humano – segurar na mão, receber um abraço afectuoso.
Aprendi que ainda tenho muito que aprender...
As pessoas se esquecerão do que você disse...
Esquecerão o que você fez... mas nunca esquecerão como você as tratou.

Sem comentários:

Enviar um comentário