Follow by Email

Seguidores

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Bandeiras do Mar

Quando chega o verão, nos sentimos atraídos pelo mar.
Multidões se reúnem nas praias buscando um contacto com as ondas que nos proporcionam prazer e descanso, porém o caminhar do ser humano deixa sua trilha fatal nas areias da praia.
Milhões de sacolas de plásticos e de todo o tipo são largados na costa, o vento e as marés se encarregam de arrastá-los para o mar.
Uma sacola pode navegar várias dezenas de anos sem se degradar.
As tartarugas marinhas confundem-nas com as medusas e as comem, sufocando-se na tentativa de engoli-las.
Milhares de golfinhos também morrem sufocados…
Eles não têm capacidade para reconhecer os lixos dos humanos, até porque, "tudo o que flutua no mar se come".
A tampa plástica de uma garrafa, de maior consistência do que a sacola plástica, pode permanecer inalterada, navegando nas águas do mar por mais de um século.
O Dr. James Ludwig, que estava estudando a vida do albatroz na ilha de Midway, no Pacífico, a muitas milhas dos centros povoados, fez uma descoberta espantosa.
Quando começou a recolher o conteúdo do estômago de oito filhotes de albatrozes mortos, encontrou: 42 tampinhas plásticas de garrafa, 18 acendedores e restos flutuantes que, em sua maioria, eram pequenos pedaços de plástico.
Esses filhotes haviam sido alimentados por seus pais que não conseguiram fazer a distinção dos desperdícios no momento de escolher o alimento.A próxima vez em que Você for à sua praia preferida, talvez encontre na areia
lixo que outra pessoa ali deixou
Não foi lixo deixado por Você, porém, é SUA PRAIA,
é o SEU MAR,
é o SEU MUNDO e Você deve fazer
algo por ele.
Não se pode defender o que não se ama, e, não se pode amar o que não se conhece".

1 comentário: